quarta-feira, 11 de abril de 2012

RESUMIDAS IMPRESSÕES: Os Estranhos Anões-Gigantes



Autor: Lauro Elme
Ilustrações: Samuel Casal

         Sinto-me presenteada quando leio um livro como este. Tão completo e bem encaixado e bem escrito e bem ilustrado. É um livro que fica na estante do meu coração.
         Lauro Elme integrou o lúdico com a realidade, trazendo implícitas conclusões, de uma ordem naturalmente ética. Nada eu poderia esperar diferente. Nem a forma e as palavras que o autor usou e muito mesmo as ideias que ele semeou. Quero poder escrever como ele.
         Lauro nos apresentou com concretude, sequencialidade e leveza, uma realidade, principalmente das grandes cidades: o mundo dos catadores de papéis, lixos, etc. Junto com o ilustrador Samuel Casal, aceitaram a pobreza e a velhice que enfeiam fisicamente uma pessoa e, contrastaram esses fatos com a interpretação abstrata e afetiva, trazendo à personagem ares de mistério que, após algumas páginas, revelaram-se em sabedoria, compaixão, magia, espiritualidade e solidariedade.
         O autor também traz a realidade de meninos de escola, sejam os pequenos espertos, sejam os grandes vaidosos e até maldosos que existem em todo lugar. Fez da diferença e do conflito, a necessidade da escolha de lados, da defesa e da ignorante perversidade, sem dar a esta última destaque, vulgaridade ou vitória. Entre o mal e o bem, o bem vence. É óbvio que semear esperança, faz o mundo, da infância e da adolescência, ou mesmo do adulto, um lugar melhor.
         Melhor ainda, porque mesmo diante de valentões há que se escolher a criatividade e o lúdico para vencer um conflito, mesmo que numa briga feita com as próprias mãos, palavras ou outras artimanhas mágicas. Porque a magia da vida, não é apenas fantasia, ela se dá também no inusitado, na solução inesperada, mas sempre, sempre acreditada.

         E com toda a delicada forma de mostrar a realidade da pobreza, feiura, brigas, bulling, Lauro acrescenta a fé no invisível, no pequeno, no mundo da imaginação, da espiritualidade, dos pequenos-grandes elementais, estranhos a um monte de gente, de anões-gigantes, que nada mais são, porque são totalmente a família e a riqueza de uma velha bruxa sábia do bem e do amor. Lauro trouxe amor, aventura, fantasia e vitória em algumas noites lá em casa.

         Seguindo a trilha de Lauro, Samuel Casal, com a linguagem direta e simples, o preto no branco, integra também os contrários e forma lindas imagens. Imagens que atuam como complementares àquelas que os leitores vão desenhando mentalmente. Os olhos expressivos, confirmam que são as janelas do livro, dos sentimentos, dos afetos, dos personagens, com toda a sua simplicidade de traços que sutilmente se movem o tempo todo, confirmando o dinamismo da história.

         A pequena quantidade de ilustrações compõe um livro para leitores independentes e maiores, o que não impede ser lido para as crianças mais pequeninas. Adorei ser um livro apresentado aos onze/doze anos de meu filho, porque na travessia para adolescência, ele reconhece a realidade, mas ainda (e espero que para todo o sempre) sonha com o bem vencendo o mal, apesar das dificuldades. Um livro que está na minha prateleira dos prediletos.


Fernanda Matos.