quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

RESUMIDAS IMPRESSÕES: O Segredo da Vovó Maria


Autora: Carla Caruso
Ilustradora: Rosinha Campos

Parece coincidência escrever sobre outra história de vó, só que como já disse não crer em coincidências, acho que as últimas leituras estão me trazendo as minhas próprias lembranças de avós e da minha infância. Deve ser para me levar mais ainda ao mundo da criança, tentando me colocar como uma leitora,  escritora e ilustradora infantil, pode ser...

O Segredo da Vovó Maria foi o primeiro livro de Carla Carusa que eu li. É um livro que estimula a curiosidade, desde o título. Quem não tem segredos? Quem não os contou em sigilo absoluto a amigos de muita e extrema confiança, pelo menos um amigo? Quem não se sente lisonjeado ao receber uma confidência de uma pessoa que lhe é especial? Quem nunca na infância brincou de algum tipo de jogo ou construiu alguma coisa secreta? Ou teve um diário? O tema do segredo é sempre tão empolgante!

Carla Caruso foi feliz em unir a temática do segredo com um ícone bastante simbólico, carregado de mistério e que guarda o que não precisa ser visto o tempo todo, ou pelo contrário, o que precisa ser escondido: o armário... Outro dia mesmo, eu imaginando com meu filho construir uma casa para nós, a desenhamos mentalmente com dois quartos com armários de fundos falsos, que dariam num quartinho secreto, onde ninguém saberia nem como entrar, logo, um lugar perfeito para guardar segredos e preciosidades. Um cadinho ou cantinho alquímico, onde as transformações mais individuais e profundas podem acontecer.

Eu juro, juro mesmo que sempre sonhei com um armário de fundo falso. Adoro a sensação da luzinha pendurada no teto e o som de click. Aliás, escutei ao ler Carla  e ver Rosinha Campos o click ligando e desligando e o susto da menina fazendo travessura, mexendo nas coisas de vó. E agora, acabo de recordar, não do armário, mas dos segundo e terceiro gavetões da cômoda do meu bisavô, que continham papéis de seda para fazer pipas e caixas trançadas. Como eu adorava bisbilhotar e cutucar aquelas gavetas.

As vezes, fazia até sem pedir permissão, exatamente como a personagem do livro, e ficava brava ao ouvir o ranger do velho móvel, com medo de ser descoberta e repreendida. Em cima dessa mesma cômoda, os perfumes e o talco da minha bisavó, parecidos com os da avó da autora. É, boas lembranças. Acho que se deixar, fico cada vez lembrando mais detalhes das férias caseiras na casa dos meus bisavós maternos. Tempos bons. Um bom livro. Mesmo, confesso, não tendo gostado do final, porque a minha mente adulta esperou um segredo menos pedagógico e mais endiabrado da Vó Maria.

Assim é a vida. As vezes mais vale sentir o seu suspense do que descobrir o seu segredo. Arrepio de alma na travessia... Travessia ilustrada meigamente por Rosinha Campos. Esse foi o sentimento que suas formas originais me evocaram. Formas que me levaram também a recordar, daquelas pequeninas bonecas feitas de cabeça de palha, com corpo de chita preenchido de ervas cheirosas, para colocar nas gavetas. Delícia de cheirinhos...

Cheirinhos de erva, de terra, de antigo, de aconchego, de vó, de colo, de marrom. O tom marrom que Rosinha bem utilizou em O Segredo da Vovó Maria. Um livro gracioso, que chama pelo passado de volta, no caso de um leitor adulto, ou que incentiva a vivencia das relações entre as gerações. Um livro inspirador da brincadeira do potinho dos segredos ou dos desejos. Enfim, usar a imaginação inspirada em Carla e Rosinha, pode nos levar a lugares secretos e inesquecíveis, na escola ou em casa, ou dentro da gente mesmo.

Fernanda Matos.

2 comentários:

Ives disse...

Existem tantos segredos no fundo do nosso guarda roupas, e as vezes com um pouco de sensibilidade tudo se revela lindo, cheio de flores e encantos, abraços

Carla Caruso disse...

Fernanda,

que bela leitura! Fiquei feliz em saber que o livro te despertou tantas imagens e lembranças!

Obrigada,

Abraços, Carla